quarta-feira, 30 de março de 2016

Os bispos que se deificam e que contradizem ao mesmo Cristo!


"O Inferno está pavimentado com crânios de bispos." 

(São João Crisóstomo)

__


Nosso Senhor Jesus Cristo:


"Toda árvore boa dá bons frutos; toda árvore má dá maus frutos. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má, bons frutos." (São Mateus VII)


X

Dom Tomás:




Dom Williamson:

“… a árvore metade boa, metade má, pode dar frutos metade bons, metade maus” (Eleison 385)


___




"Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: -Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos."
(São Mateus, XXV, 41)


terça-feira, 29 de março de 2016

Dos Maus Efeitos dos Escrúpulos



Não 
se podem deplorar bastante os danos que os escrúpulos causam àqueles que os escutam e que lhes dão consentimento; muitíssimas vezes, arruínam a saúde do corpo, alterando o cérebro, bestificando o espírito; e, ademais, desolam a consciência. É uma espécie de martírio inferior, diz Fénelon; vai até a uma espécie de dislate [dito ou afirmação tola; asneira, bobagem, despautério] e de desespero, embora o fundo esteja cheio de razão e de verdade. Quantos infelizes começaram pelo escrú­pulo e acabaram pela impiedade e pela libertinagem!

Em primeiro lugar, um escrupuloso tor­na-se incapaz de devoção, porque o Espí­rito Santo só ateia nas almas esse fogo celeste no exercício da oração e na meditação das coisas santas, in meditatione mea exardescet ignis. E é disto que o escrupuloso não é capaz, porque, tendo a mente perturbada pelos escrúpulos, exa­minando incessantemente e rolando na ca­beça se pecou ou se não pecou, é incapaz de meditação e, por conseguinte, de de­voção.  
Um escrupuloso não pode se desobrigar como convém dos exercícios de piedade, nem progredir nas virtudes, não somente porque para isto é preciso uma grande aplicação de mente, de que o escrupuloso não é capaz, como também porque, sen­do essas práticas acompanhadas de amar­guras, não se poderia continuá-las por muito tempo se elas não fossem abran­dadas pelas consolações do Espírito San­to; e é esta, ainda, uma coisa de que o escrupuloso não é capaz, porquanto, es­tando continuamente imerso na angústia e na desolação, não pode ao mesmo tem­po degustar alguma consolação; e é isso talvez o que o Profeta queria exprimir dizendo que a turbação do espírito en­fraquecia a virtude da sua alma: conturbatum est cor meum; dereliquit me vir­tus mea (Sl 37). Meu coração está cheio de perturbação, toda a minha força aban­donou-me, e até mesmo a luz dos meus olhos não a tenho mais.

Finalmente, por um desregramento e uma desordem surpreendente, o escrupu­loso faz às vezes escrúpulo daquilo que não é pecado, mas não faz escrúpulo da­quilo que é pecadoou, então, o faz daquilo que ele acredita ser pecado mortal, e não o faz daquilo que acredita ser pecado venial; cai na cegueira e nesse estado que Jesus Cristo exprobrava aos Fariseus: “Tem medo de engolir um mosquito, e en­gole um camelo” (Mt 23, 24); perde o tem­po em combater inimigos imaginários, e lança-se nas mãos daqueles que são ini­migos reais e temíveis.

Eis aí algumas das mil devastações que os escrúpulos causam nas consciências. É por isto que os Doutores e os Pais da vida espiritual asseveram que um escrupuloso não somente não peca repelindo os seus escrúpulos, porém peca consen­tindo neles; porque este consentimento o lança em mil desordens e lhe fecha a porta da perfeição, e às vezes até mesmo a do Céu.


Extraído do livro "Tratado dos Escrúpulos de Consciência - Instruções para esclarecer, dirigir, consolar e curar as pessoas escrupulosas", Capitulo IV: "Dos maus efeitos dos escrúpulos", do Padre Grimes, 1854. 


Baixe a edição de 1952 aqui o PDF.  

Fonte: PALE IDEAS

segunda-feira, 28 de março de 2016

AS CONTRADIÇÕES DOS BLOGS NON POSSUMUS E SYLLABUS E O VERGONHOSO SERMÃO DA SAGRAÇÃO DE DOM TOMÁS


“Não se opor ao erro é aprová-lo e não defender a verdade é suprimi-la. E de fato, se negar a maldizer homens maus quando podemos fazê-lo, não é pecado menor do que encorajá-los”. –Papa São Felix III
___

INCOERÊNCIAS

Padre Trincado filmado durante o sermão de Dom Williamson

É estranho ver que os “famosos” blogs da “ResistênciaNon Possumus e Syllabus - e outros mais - tenham recentemente publicado elogios a Dom Tissier (como a entrevista de Dom Tomás que afirma que Tissier e Williamson são “grandes autores anti-liberais” [SIC!]) e agora estes mesmos blogs estejam a publicar críticas ao recente sermão do mesmo Tissier[1]. Uai, Tisser é um liberal ou não é um liberal? Decidam-se.

É interessante também notar como eles publicaram contraditórios sermões e eleisons de Dom Williamson e agora não querem publicar o sermão dado no último 19 de Março!? E porquê, já que no mesmo dia publicaram as fotos?

Bom, sabemos que o diretor do blog Non Possumus (Padre Trincado) vetou a publicação dos eleisons onde Williamson falava de não querer uma estrutura. Ah! Então será por isso que não querem publicar o sermão da sagração? Estão com vergonha já que nele Dom Williamson afirma que o tempo das estruturas é passado (min 12:40) (SIC!); para não esperar uma estrutura na “Resistência” (min 17:59) (SIC!); e que sem o papa não há algo católico (min 15:23) (SIC!) ...?

Mas espere. Se, para Dom Williamson, sem o papa não há algo católico (e isso responde porque ele pegaria o primeiro avião até Roma para fundar uma sociedade), se isso fosse verdade, porque ele não pediu autorização a Francisco para sagrar Dom Tomás? E mais: teríamos que estar unidos a Francisco para sermos “algo católico” (SIC!) ? Não é semelhante ao que diz Dom Fellay?

Ou talvez, será que não publicam o sermão porque o bispo afirma que são bons os padres e bispos da neo-fsspx (min 8:22)(SIC!)? Então, se são tão bons os padres e bispos da neo-fsspx, porque não voltar a neo-fsspx abertamente, já que estão tão próximos a eles?? Ou melhor: para que existe a dita “Resistência” já que ela não busca uma estrutura e não resiste a nada???

E agora? Será que o novo bispo - já que Dom Williamson disse que ele não segue as pessoas, mas segue a verdade (min 21:20) (SIC![2]) – será que ele fará uma nova lista de seus “grandes autores anti-liberais”...? Ou será que apenas fará novos obscuros esclarecimentos, como ele costuma fazer para defender os graves erros de seu amo??

E os blogs Non Possumus, Syllabus e cia? Continuarão a se contradizer e a defender com sofismas estes bispos liberais? Ou vão todos juntos se calar frente ao erro, já que Dom Williamson disse que o que não se pode varrer, deve-se aguentar (min 20:56) (SIC!) ?

...

Enfim. Como diz o provérbio:

“Senta-te a porta de tua casa e verás passar o cadáver de teu inimigo”.

Nós da Missão Cristo Rei estamos fora dessa bagunça (ou “caos”). Ao contrário do bispo inglês e seus Amigos da “Desistência”, que preferem defender o erro à combatê-lo (como por exemplo defender a missa nova), nós preferimos nos organizar e lutar seriamente, sem aceitar nenhuma asneira, porque queremos viver e morrer como Católicos, e não como covardes e liberais. [3]

Com a graça de Deus, permaneceremos fiéis no combate por Cristo Rei, e “que os mortos enterrem seus mortos” (São Mateus VIII, 22).


Thiago Maria,
Guiricema-MG, 28/03/2015.


[1] Refere-se às mentiras que usou Dom Tissier em seu sermão por ocasião do 25º aniversário da morte de Dom Lefebvre, para tentar justificar um reconhecimento de roma modernista. Trataremos deste assunto em um novo artigo.

[2] “Ouvi dizer que em Ipatinga tiraram o quadro de Dom Williamson da missão. Enquanto isso durar, fica difícil eu ter outra posição” (Carta de Dom Tomás ao Padre Cardozo, 27/01/2016). Será mesmo que Dom Tomás não segue as pessoas mas a verdade? SIC!

[3] Mons. Lefebvre: “Deus cega aos que não resistem ao erro, aos que não querem defender a verdade”.

domingo, 27 de março de 2016

A ressureição de Jesus


Porque esteve três dias no sepulcro. Jesus quis provar que verdadeiramente estava morto para mais ressaltar o milagre da sua ressureição. Os hebreus e incrédulos estudaram todos os meios para negar que Jesus estava morto e ressuscitara. O mesmo S. Tomé duvidou do prodígio; mas quando viu Jesus exclamou: “Meu Senhor e meu Deus!” E tu és pronto em repelir as tentações contra a fé? Pede a Jesus que fortifique em ti essa virtude.

O terremoto e os Anjos. A natureza abalou-se e tremeu na morte de Jesus. O mesmo se deu na sua ressurreição. Chorara-o na cruz, agora glorifica-o na ressurreição. Não nos estimula isto a unir-nos sempre a Jesus, nas alegrias e tristezas, bendizendo seu santo nome? Também os Anjos glorificam Jesus em Belém, no Getsemani e na ressurreição. Só nós o esquecemos horas e dias inteiros, embora lhe devamos tanto reconhecimento. Não é isto que se dá contigo?

Jesus ressuscitado. Contempla-o não mais mortal e languido, mas glorioso... Quanta luz naquelas chagas cujos estigmas conserva! O corpo de Jesus resplandece como o sol. Que majestade e gloria sobre aquela fronte, não mais de Jesus humilde, paciente, mas de Jesus Rei do céu e da terra, Juiz e Pai, tesouro do Paraíso e terror do inferno! Adora-o, pede que um dia seja para ti juiz piedoso. Mas se não queres as reprovações de Jesus, afasta-te desde já do pecado.

Prática. Repete muitas vezes durante o dia com o centurião: “Eu creio, Senhor, mas aumentai a minha fé”.

Breves Meditações, Mons. Agostinho Berteu.


sábado, 26 de março de 2016

Jesus no sepulcro


É descido da cruz. José de Arimatéia e Nicodemos tomaram o árduo e doloroso encargo de despregar Jesus da cruz. Antes eram discípulos ocultos de Jesus pelo temor dos judeus. Mas apenas Jesus morre, a sua fé se aviva e diante de Pilatos, sob os olhos de todos, se declaram sequazes do Crucificado. Também tu aviva a fé e, abandonando todo o respeito humano, não te envergonhes de seguir a bandeira de Jesus Cristo.

Jesus nos joelhos de Maria. Não mais lhe repousa no regaço, criança amável. Não mais a acaricia com a inocente confiança de um menino. Hoje está pálido, coberto de sangue, frio cadáver! Que golpe para seu coração de Mãe! Foi ela quem tirou-lhe a coroa; ela quem lavou-lhe as chagas... e com que dor! Prometo consolar-vos, oh Maria, consagrando-me todo ao vosso amor e ao de Jesus; compadecendo-me de vossas dores!

O Sepulcro. Aqui teve fim a dolorosa tragédia. Um cândido sudário envolveu todo o sagrado Corpo que foi deposto num sepulcro novo talhado em rocha viva. Ó Jesus, sepultai convosco as minhas paixões, os meus defeitos, os meus vícios, para que morram para sempre. Sepultai convosco meu coração a fim de que não saiba mais viver senão por Vós, convosco, e sempre diante de Vós.

Prática: Faze uma Comunhão ao menos espiritual e consagra teu coração a Jesus.


Breves Meditações, Mons. Agostinho Berteu.

sexta-feira, 25 de março de 2016

A Morte de Jesus

Medita quem é que morre. Na aparência é um homem, um réu condenado, um verme espezinhado... Mas sobre a cruz está escrito: “Jesus Nazareno – Rei dos Judeus”. Ele é o meu Jesus, meu Salvador, o Redentor do mundo, o Rei dos verdadeiros crentes. No Céu, na terra, nos abismos, Ele é o Temido, o Amado. Agora se cala; mas um dia julgará, condenará. Tu o verás e bom para ti se te acolher alegre sorridente.

Como morre. Enquanto a natureza treme, o sol se escurece, as montanhas se rasgam, confessando-o seu Criador; enquanto os algozes sentem um calafrio de terror e dizem que Jesus é verdadeiramente Deus, Ele inclina a cabeça em sinal de obediência ao Eterno Pai e expira. Mira-o com os braços estendidos, o olhar dirigido sobre ti a dizer-te que te espera, que te quer para si... E tu foges dele? Desconfias?

Por quem morre. Oh! Minha alma reflete: Jesus morre por ti... por teu amor, in finem dilexit... para livrar-te do inferno, abrir-te as portas do céu e salvar-te eternamente... Ele podia abandonar-te no pecado, nos caminhos da perdição, pois sendo nada, nada merecias diante de Deus. Por infinita caridade morreu por ti... E tu que tens feito? Que farás por Ele? Negar-lhe-ás o teu amor?

Prática: Beija as chagas de Jesus e diz-lhe: “Meu Jesus, pelo teu sangue, pela tua morte, salva a minha alma”.


Breves Meditações, Mons. Agostinho Berteu.

IN MEMORIAM: 25 anos sem Dom Lefebvre



Tourcoing, 29 de novembro de 1905 — Martigny, 25 de março de 1991

Eternos devedores de S.E.R. Monsenhor Marcel Lefebvre, por ter combatido o bom combate em defesa da Fé e da Verdade.

Somos filhos de Dom Lefebvre!
Veja também:

quinta-feira, 24 de março de 2016

A última ceia


Jesus conosco. Antes de partir, enquanto Judas e seus inimigos se preparam para imolá-lo, Jesus, embora prevendo a futura ingratidão dos cristãos, anuncia que um desejo ardente o consome: o de estar conosco. Esconde-se debaixo das espécies de pão e de vinho e se nos deixa a si mesmo, todo inteiro e não em parte. Oh! Bondade infinita! Oh! Amor de Jesus! E nós somos tão ingratos, frios e insensíveis a tão grande Sacramento! E esquecemos tanto Jesus que está conosco! Tão raramente O visitamos e quão distraidamente!...

Jesus dá a comunhão aos Apóstolos. Depois de haver comungado Ele mesmo, (S. Tom. p. 3ª) para animar os Apóstolos e dar-lhes o exemplo de reverência, devoção e modéstia devidas, Jesus distribui-lhes a comunhão. Que alegria para aqueles afortunados! Que fé se despertou em S. Pedro! Que amor em S. João! Só Judas comungando tomou a própria condenação. Minha alma, não invejas os Apóstolos? Frequenta a Sagrada Comunhão com fé e devoção. Quanto te ajudará! Que desejos sentes dela! Ter grande desejo da Eucaristia é grande sinal.

Humilhação de Jesus na última ceia. Jesus dá a volta à mesa lavando os pés aos Apóstolos. Ele Deus, Ele senhor aos pés daqueles que deveriam trai-lo, abandoná-lo, negá-lo! A preparação necessária para a comunhão é: a pureza de coração, a humildade e a caridade. Examina que disposições tens quando comungas. Ai do sacrílego! Ai do soberbo! Ai do tíbio!


Breves meditações, Mons. Agostinho Berteu 

O homem medíocre

Ao medíocre agradam-lhe os escritores que não dizem nem sim nem não sobre nenhum tema, que nada afirmam e que tratam com respeito todas as opiniões contraditórias. Toda afirmação lhe parece insolente, pois exclui a proposição contrária. Mas se alguém é um pouco amigo e um pouco inimigo de todas as coisas, o medíocre o considerará sábio e reservado, admirará sua delicadeza de pensamento e elogiará o talento das transições e dos matizes.

Para escapar da censura de intolerante, feita pelo medíocre a todos os que pensam solidamente, seria necessário se refugiar na dúvida absoluta; e, ainda nesse caso, seria preciso não chamar a dúvida pelo seu nome. É necessário formulá-la em termos de opinião modesta, que preserva os direitos da opinião oposta, tomar ares de dizer alguma coisa e não dizer nada. É preciso acrescentar a cada frase uma perífrase açucarada: “parece que”, “ousaria dizer que”, “se é permitido expressar-se assim”.


Ernest Hello (1828-1885)

segunda-feira, 21 de março de 2016

Entrai pela porta estreita


"Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduzem à perdição e numerosos são os que por aí entram. Estreita, porém, é a porta e apertado o caminho da vida e raros são os que o encontram.

"Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abrolhos?

"Toda árvore boa dá bons frutos; toda árvore má dá maus frutos. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má, bons frutos. Toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo.

"Pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus." 


(São Mateus VII, 13 - 21)

Encontro em El Paso

Missão Católica Ven. Maria de Agreda - El Paso, Texas - EUA

19 e 20 de março de 2016

(Padre Ernesto Cardozo, Padre Joseph Pfeiffer e Padre David Hewko)



Padre Pfeiffer e Padre Hewko



Esta é uma d casas onde a Capela da FSSPX em El Paso começou em 1970.



Domingo de Ramos Altar - 2016



Viva Cristo Rei e a Virgem de Guadalupe!

 
 

Vídeo - Dom Williamson e a Missa Nova

“É próprio do liberal a contradição.”

MISSÃO SAGRADA FAMÍLIA - BETIM/MG

Prezados amigos,
Salve Maria!

Uma alma caridosa teve a bondade de legendar e traduzir para o português o vídeo onde Dom Williamson se contradiz várias vezes a respeito da assistência da Missa Nova. Não queremos entrar novamente nesta discussão, porque, para os integrantes desta Missão a cereja já foi colocada no bolo, mas, para quem não tinha visto/ouvido, vale a pena contar quantas vezes o aludido bispo se contradiz em menos de 12 minutos. Um recado, apenas: “Dizei somente: Sim, se é sim; não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno.” São Mateus, cap. V, 37.



sábado, 19 de março de 2016

CARTA DA IRMÃ CRISTIANA


CARTA DA IRMÃ CRISTIANA


Caríssimos irmãos e irmãs no Coração Imaculado e transpassado de dor de Nª. Sª Corredentora,

Viva Cristo Rei e Salve Maria

Monsenhor Lefebvre dizia que a história da Fraternidade (fundada por ele) é a historia das separações [1].  

[1] "... a história da Fraternidade é quase que a história das separações - Sempre tive como princípio: não mais ter relações, acabou. Eles nos deixaram, eles irão a outros pastores, a outros rebanhos: nenhuma relação mais. Tanto aqueles que partiram como "sedevacantistas" quanto aqueles que nos deixaram por não sermos suficientemente papistas, todos tentaram engolfar-nos em uma polêmica. Eu nunca respondi uma palavra. Rezo por eles, é tudo" (Conferência de Mons. Lefebvre, publicado noFideliter n. 66 de novembro/dezembro de 1988, p. 27-31 — aqui).

Pois bem, isso se dá porque Satanás quer destruir toda Obra Cristã verdadeira. O Príncipe deste mundo é o Pai da mentira, Homicida desde o começo [João 8,44], o fomentador das separações que dividiram ontem e dividem agora os cristãos. E, como dizia também o santo Prelado, ele utiliza a obediência demasiadamente humana para obter a desobediência para com Deus [O Golpe de Mestre de Satanás]



Ora, os Mandamentos divinos se resumem no amor, de todo coração a Deus nosso Criador, nosso Redentor e nosso Santificador, e no amor ao próximo como a si mesmo; cujo amor o Verbo em Pessoa veio nos ensinar, através da Sua sacrossanta Humanidade.

Como Satanás conhece muito bem nossa burrice e nossa covardia, ele repete os mesmos ataques, e os relaxados na união com Deus continuam a caírem tranquilamente.

Mons. Lefebvre repetia sobre a necessidade para os padres de terem séria vida interior, de viver em verdadeira união espiritual com Nosso Senhor; coisa que ele mesmo praticou com excelência, e isso lhe permitiu, junto com Dom de Castro Mayer, de ficar fiel a Nosso Senhor.

Por consequência, é legitimo pensar que Mons.Williamson bem se parece com Dom Quixote, enamorado — claro que platonicamente! — de uma Dulcinéia imaginária que o deixa cego e sem força para sair da loucura do mundo moderno; loucura que ele mesmo acusava — e, nisso, ele é mais culpável do que Don Quixote!

E Dom Tomás, como o bom Sancho, vai favorecendo a loucura do nobre mestre; e, fazendo-se de bobo, acaba participando da loucura do “cavalheiro da trista figura”, na esperança de se tornar “governador d’uma ilha” [CAPÍTULO XLV - "De como Sancho Pança tomou posse da sua ilha" — a Ilha de Barataria (aqui)]



Bom, se Mons. Williamson largar a Dulcinéia imaginária e voltar realisticamente a Nossa Senhora, sem duvida nenhuma receberá boa luz e boa força para agir como Mons. Lefebvre, que, diante do caos do Vaticano II, não deixou de ser animado de igual zelo santo para a salvação das almas. E, se uns padres da África ensanguentada lhe pedissem ajuda [2], não lha ia recusar, assim para com os outros, querendo salvar-se do poço.  

[2] referência ao Pe. João Bosco, da Nigéria, que solicitou a Dom Williamson que ordenasse a um padre, e ele se recusou, alegando: “já estou muito ocupado, provavelmente muito ocupado, distraído pelo caos”(aqui). Oras, sabemos que o episcopado que Mons. Lefebvre desejou para os Bispos que sagrou foi para ministrar a Crisma e ordenar Sacerdotes; não para dar palestras sobre poetas heréticos (aqui), ou ficar devaneando sobre o “caos”.
A meta da nossa Fé divina é a salvação das almas, disse S. Pedro. A tempo e a contratempo [Opportune et inopportune (2. Tim. 4,2)], disse S. Paulo. Ora, não há tempo para admitir os sacrilégios eucarísticos que Bugnini encerrou em cada missa de Paulo VI;  não há que admitir os sacrilégios nos sacramentos da confissão, do matrimônio e nos outros. Estes sacrilégios reais, que nem são mais escondidos, mas oficializados, foram gerados pela Maçonaria que ocupa, desde o Concílio Vaticano II, a Cátedra de S. Pedro e as dos bispos, e dos teólogos etc.  

Saber se há vacância ou não, não interessa. Deus dará a resposta em outros tempos, onde as paixões atuais estarão esfriadas. O que importa é que hoje há muitos, muitos, muitos sacrilégios — uma quantidade enorme e inesgotável — produzidos no Modernismo oficializado. Isso é pecado gravíssimo; isso é escândalo imenso contra a salvação das almas.  Isso é a abominação da desolação no lugar santo [Mat. 24,15]: palavras do Espírito Santo na boca do profeta Daniel, e que Nosso Senhor retomou.  

Então, diante dessa realidade que aconteceu por causa dos pecados, temos de confessar a necessidade de salvar nossa alma e de ajudar na salvação dos irmãos, amando e defendendo a Verdade pura.

Que Nossa Senhora, que pisou desde o início a cabeça de Satanás, seja nossa guia e nos ensine a amar verdadeiramente o seu Divino Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. 



Assinado por Irmã Cristiana, eremita — Nome de batismo: Sophie Christiane Joseph, no dia 18 de Março de 2016. 

  
Filha espiritual do Rvdo. Padre Cardozo, perfeitamente fiel à orientação de Mons. Lefebvre — também pela fidelidade à uma autêntica vida interior;

E amiga em Cristo e Maria da senhora Giulia d'Amore, e de todos que recusam as palhaçadas diabólicas do Modernismo — fruto mau da moderna sinagoga de Satanás — palhaçadas que entraram ate dentro da Resistência Católica.

Vivam Cristo Rei e a Virgem Madre Dolorosa.